Praia de Mundaú

Repleto de praias paradisíacas, o litoral do Ceará guarda uma jóia ainda pouco freqüentada, mesmo nos períodos de verão e sol intensos. Situada no município de Trairi, a cerca de 150 quilômetros de Fortaleza, a pacata Mundaú, que já foi habitada pelos índios Tapuias dos Potiguaras, é uma das praias mais belas do Nordeste e é considerada um dos principais destinos de refúgio do Ceará.

Com o acesso fácil, feito a partir de Fortaleza pela CE-085, a pequena localidade, citada como cenário pelo escritor cearense José de Alencar, no romance "Iracema", e que teria sido avistada pelo navegador Américo Vespúcio em 1501, reúne diversos atrativos que vão desde a realização de trilhas na Mata Atlântica até os passeios de catamarã pelo mar e pelos manguezais com direito a banhos e mergulhos no rio Mundaú e nas águas salgadas. As dunas também compõem o cenário de um lugar quase perfeito.

Logo de cara, os visitantes que chegam pela primeira vez na região se deparam com uma belíssima visão proporcionada pelo exótico trecho de dez quilômetros entre o entroncamento que dá acesso às praias de Flexeiras e Mundaú. É que a rodovia também funciona como um divisor: de um lado ficam as dunas de areia amarelada e do outro fica a praia de areias claras e mar que hora está verde e hora está azul.

Ao entrar em Mundaú, é fácil perceber que o local ainda conserva características marcantes, como o ambiente rústico de uma vila de pescadores, misturado ao requinte e despojo das charmosas pousadas situadas à beira-mar.

Apesar de urbanizada, com ruas de calçamento e lugares estruturados como as praças do Mirante e de São Miguel, a vila mantém seus ares bucólicos ideais para os que buscam tranqüilidade e para os casais apaixonados. Em algumas pousadas, é possível fazer refeições como o almoço e o café da manhã ao som suave do barulho do mar.

À noite, a praia, na maior parte de sua extensão, conta apenas com a iluminação de tochas, ou mesmo natural em dias de lua cheia.

Passeios "obrigatórios" para curtir o lugar
Seja de bugue ou de barco, os passeios são ideais para conhecer melhor a região. No giro de bugue pelas dunas, não há muito espaço para a emoção, muito comum em outros destinos do Nordeste, mas sim para a contemplação, principalmente da vista panorâmica que se tem da pequena vila e do conjunto formado pelas construções, coqueirais, dunas, rio e mar.

Do alto de um paredão de mais de 20 metros, também é possível visualizar a divisão entre o rio e o mar feita pelas faixas de areia que parecem ter sido desenhadas a mão. O passeio tem duração de uma hora e custa R$ 60, em média, para um casal. O pacote dá direito a paradas para banhos refrescantes e também para fotografias. Além disso, os motoristas também atuam como contadores dos fatos recentes ocorridos no local como os desaparecimentos de casas, postes, coqueiros e até estradas, provocados pelas constantes mudanças de localização das dunas, causadas pelo vento.